• RPEA
    v. 8 n. 1 (2018)

    No seu oitavo volume, a Revista Portuguesa de Educação Artística (RPEA) continuou a perseguir o objetivo da internacionalização. Desde o último número, lançado em dezembro de 2017, a RPEA passou a estar indexada em mais duas bases de dados de revistas científicas internacionais: o SIS – Scientific Indexing Services; e o CiteFactor – Academic Scientific Journals. Atualmente, a RPEA está indexada e referenciada em nove importantes diretórios de revistas científicas, o que visa permitir aos investigadores do domínio da educação artística, ter mais uma publicação com credibilidade internacional ao seu dispor. Ainda neste âmbito, alargámos o número de membros do Conselho Científico da revista, de modo a aumentar o número de especialistas e de áreas da educação artística. Neste volume também se realça a parceria realizada com o Congresso de Investigação em Educação Artística, realizado em novembro de 2017, pela Escola Superior de Educação de Viseu. Alguns dos artigos aqui publicados foram resultado do debate realizado neste congresso. Neste número, são abordados problemas centrais da educação artística atual: o papel dos museus no domínio da educação artística; a pesquisa em educação a partir do domínio das artes; a relação entre os artistas e as escolas; estratégias de inclusão através das artes, junto de crianças e jovens em risco; projetos artísticos de intervenção na comunidade; ou qual o perfil ideal do docente no curso de iniciação musical.

  • RPEA
    v. 7 n. 2 (2017)

    A Revista Portuguesa de Educação Artística (RPEA), Vol. 7, N.º 2 constitui um marco deste periódico científico. A partir deste número, a RPEA passa a estar indexada em mais duas bases de dados de revistas científicas internacionais: o SJIF (Scientific Journal Impact Factor); e o MIAR (Information Matrix for the Analysis of Journals), da Universidade de Barcelona. No total, a RPEA está atualmente indexada e referenciada em seis importantes diretórios de revistas científicas, o que demonstra o sucesso do percurso realizado rumo à credibilização internacional.

    Este ano, a RPEA consolidou também a periodicidade semestral da revista, factor essencial para a integração nas principais bases de dados científicas internacionais. Ao passar de uma periodicidadeanual para semestral, aumentaram as possibilidades de realizar candidaturas de acesso a um maior número de diretórios e bases de dados. No entanto, este aumento da frequência de publicação envolvia alguns riscos – aos níveis da qualidade da investigação e da capacidade editorial da RPEA –, os quais foram felizmente ultrapassados.

    Finalmente, no último semestre, a RPEA foi convidada a integrar um projeto internacional com outras cinco revistas científicas de diversos países (EUA, Finlândia, Taiwan, Espanha e República Checa), o que constitui uma oportunidade relevante para a divulgação das pesquisas sobre educação artística realizadas em Portugal, ao mesmo tempo que comprova a credibilidade da revista. Neste projeto, seis revistas científicas irão funcionar em rede e dedicar um dos seus números de 2018 a um tema comum: “Borderless: Global Narratives in Art Education” (“Sem Fronteiras: Narrativas Globais em Educação Artística”). Esta parceria surgiu através da InSEA (International Society for Education through Art). Em 2019, irá ser realizado um congresso na cidade de Vancouver, onde esta parceria terá destaque, sendo bem-vindas comunicações que versem sobre este tema comum.

    Mais informações poderão ser consultadas no site da RPEA (http://rpea.recursosartisticos.madeira.gov.pt). Resta-nos agradecer a todos os que têm contribuído para este projeto e que têm colaborado na promoção e no acréscimo de qualidade da investigação na área da educação artística. A todos, o nosso muito obrigado.

  • RPEA
    v. 7 n. 1 (2017)

    Desde o último número, a Revista Portuguesa de Educação Artística (RPEA) tem algumas novidades: foi indexada em mais um diretório científico – o REDIB, Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico – e todos os artigos publicados desde o primeiro número passaram a contar com uma identificação digital individual (DOI – Digital Object Identifier). O REDIB é uma plataforma de âmbito ibero-americano e visa facilitar o acesso, a difusão e a valorização da produção científica gerada nos países ibero-americanos, sendo a quarta base de dados científica em que a RPEA se encontra indexada, o que certifica os padrões de qualidade defendidos nesta publicação. O “digital object identifier” (DOI) é um sistema que visa aumentar a segurança e facilitar a localização dos objetos digitais na Internet, sendo cada vez mais uma exigência dos principais diretórios e bases de dados internacionais de publicações científicas. Assim, ao aliar-se ao sistema DOI, a RPEA aumenta os seus padrões de qualidade e passa a disponibilizar aos investigadores mais um benefício útil na localização e defesa de direitos autorais. Esperamos continuar a melhorar a qualidade da RPEA, de modo a permitir aos investigadores das áreas artísticas terem mais uma revista ientífica que os auxilie na difusão dos resultados das suas investigações e na progressão das suas carreiras.

  • Revista Portuguesa de Educação Artística
    v. 6 n. 2 (2016)

    Nos últimos 20 anos, assistimos a um aumento do número de revistas científicas e, simultaneamente, a um crescimento da exigência no processo de aceitação e avaliação dos artigos científicos. É este rigor que atribui credibilidade a uma revista científica, e que, constituindo um verdadeiro selo de garantia, leva à recepção de um maior número de artigos de qualidade. Entre os aspetos que se tornaram centrais e requisitos mínimos para uma revista científica contam-se: a existência de revisão dos artigos por, pelo menos, dois revisores externos especialistas na área (de forma anónima e sem qualquer dado sobre o nome do autor do artigo); e a indexação da publicação em causa em diretórios de revistas científicas credíveis (ou seja, a certificação do cumprimento das dezenas de critérios exigidos por entidades internacionais no domínio de publicações científicas).

    Tendo cumprido com estes objetivos nos últimos anos, a direção da Revista Portuguesa de Educação Artística (RPEA) continua a procurar melhorar a qualidade dos artigos presentes nesta publicação e a dar resposta ao elevado número de propostas que recebe. Deste modo, as prioridades  de 2016 centraram-se principalmente no que se segue: passar a periodicidade da RPEA de anual para semestral; e expandir o Conselho Científico, procurando manter os melhores revisores e aumentar o número de membros internacionais. 
    Neste contexto, é com agrado que a RPEA conta atualmente no seu Conselho Científico com membros pertencentes a um conjunto alargado de países, tais como Espanha, França, Canadá, México, Colômbia e Brasil. A internacionalização da RPEA e o aumento da periodicidade são assim duas apostas importantes para alcançar, num futuro próximo, a indexação desta publicação em diretórios científicos mais influentes e conseguir, para a área da educação artística, uma publicação conceituada que auxilie os investigadores deste domínio a progredirem nas suas carreiras e a divulgarem os seus resultados a um público especializado mais alargado.

  • Revista Portuguesa de Educação Artística
    v. 6 n. 1 (2016)

    Desde o último número, a Revista Portuguesa de Educação Artística (RPEA) passou a ser indexada no Directory of Open Access Journals (DOAJ). O DOAJ é um dos mais importantes diretórios de periódicos científicos do mundo e é mantido pela Universidade de Lund, na Suécia. Atualmente estão indexados no DOAJ 11416 revistas de 136 países, perfazendo um total de 2,224,836 de artigos disponíveis. A RPEA segue agora o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona uma maior democratização mundial do conhecimento. Assim, todos os artigos da RPEA são agora disponibilizados online de forma aberta, livre e sem custos para o utilizador.
    A RPEA continua a ter a versão impressa para bibliotecas académicas e para os interessados em ter uma versão em suporte papel. Todavia, a partir de agora, ao aderir ao “Open Journal System”, a direção da RPEA procura aumentar o número de leitores dos artigos publicados e o impacto da revista no meio académico.
    Além do DOAJ, a RPEA é indexada e referenciada pelas seguintes bases de dados internacionais de publicações periódicas científicas: ERIH PLUS – European Reference Index for the Humanities and Social Sciences; e Latindex – Sistema Regional de Informação para as Revistas Científicas de América Latina, Caribe, Espanha e Portugal.

  • Revista Portuguesa de Educação Artística
    v. 5 (2015)

    Ao longo do último ano a Revista Portuguesa de Educação Artística (RPEA) conseguiu a indexação em dois diretórios de revistas científicas, concretizando assim a sua estratégia de inclusão em bases de dados internacionais de publicações periódicas prestigiadas no domínio da ciência.
    A primeira etapa foi realizada com a indexação no diretório Latindex (Sistema Regional de Informação para as Revistas Científicas de América Latina, Caribe, Espanha e Portugal) e, passado poucos meses, a RPEA foi integrada no Índice Europeu de Referência para as Ciências Sociais e Humanas (ERIH PLUS). Este reconhecimento internacional da RPEA comprova a importância do investimento realizado pelo Governo Regional da Madeira, através da Secretaria Regional de Educação, no domínio da investigação na área da educação artística. Com estas indexações em importantes diretórios de revistas científicas, a RPEA confirma o seu lugar de destaque no panorama das publicações científicas portuguesas, sendo atualmente reconhecida como uma das mais importantes revistas na área da educação artística em Portugal.

  • Revista Portuguesa de Educação Artística
    v. 4 (2014)

    Ao comemorarmos quatro anos de atividade da Revista Portuguesa de Educação Artística, é com satisfação que observamos o contínuo e elevado interesse de professores, investigadores e gestores em compreender e estudar o fenómeno complexo que é o do domínio das artes na educação.
    Felizmente, após décadas em que as artes tiveram uma menor presença no domínio da investigação, é hoje generalizadamente aceite que o seu ensino pode e deve ser continuamente melhorado através da reflexão e do estudo sistemático, assente em modelos científicos discutidos em contexto académico.

  • Revista Portuguesa de Educação Artística
    v. 3 (2013)

    O terceiro número da Revista Portuguesa de Educação Artística (RPEA) mantém o princípio de privilegiar, de modo igual, as diferentes áreas artísticas. No entanto, ao longo dos últimos três anos, tem-se tornado notório que as propostas de artigos enviados para a RPEA continuam a refletir uma educação artística muito mais ativa nas áreas das artes visuais e da música e menos dinâmica nas áreas da dança e do teatro – situação natural no atual panorama curricular do ensino básico. Apesar deste cenário, é possível encontrar neste número artigos que versam sobre dança, música e artes visuais, tendo havido uma preocupação, aquando a seleção dos artigos propostos, de equilíbrio entre estes domínios artísticos.

     

  • Revista Portuguesa de Educação Artística
    v. 2 (2012)

    Este artigo tem como objetivo uma melhor compreensão da relação que se estabelece entre os professores de instrumento (ou canto) e os seus alunos no contexto da aula individual em Portugal e descobrir se esta relação tende a afetar o percurso pedagógico-musical dos alunos, verificando qual a possível ligação entre ambos. Para tal realizou-se um questionário a professores e outro a alunos, que foram distribuídos em quatro conservatórios portugueses. Os resultados foram analisados com o programa de estatística SPSS 19. Na discussão verificou-se que em Portugal tanto a maioria dos professores como dos alunos tem a perceção de partilhar uma relação satisfatória, afirmando os professores que se sentem realizados na sua profissão e os alunos que se sentem motivados e com confiança nos seus professores. Ambos concordam com a premissa que esta relação é de extrema importância para a boa evolução do aluno como músico, tal como os livros e estudos consultados para a base teórica deste artigo nos indicam.

  • Revista Portuguesa de Educação Artística
    v. 1 (2011)
    Com o presente número, o Gabinete Coordenador de Educação Artística da Secretaria Regional de Educação e Cultura inicia a publicação de uma revista anual dedicada à educação e às artes. Após mais de três décadas a implementar as artes no ensino genérico, é com grande contentamento que esta instituição observa o grande crescimento ocorrido ao nível do número de cursos de mestrado e doutoramento em artes, bem como a consequente valorização deste domínio no seio da comunidade académica. Infelizmente, este crescimento não foi acompanhado no domínio das publicações, não tendo surgido um número significativo de revistas com arbitragem científica que permitam uma divulgação eficiente dos resultados alcançados nos últimos anos.