ParticipART – “Amanhã Temos Bom Dia”. Projeto Artístico de Intervenção Comunitária

  • Abel Arez Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa
  • Alfredo Dias Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa
  • Joana Matos Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa
  • Kátia Sá Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa
  • Natália Vieira Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa
  • Teresa Matos Pereira Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa
Palavras-chave: Artes Performativas, Artes Visuais, Comunidade, Memória, Investigação em Arte Baseada na Prática

Resumo

O texto apresenta o processo de trabalho realizado no âmbito do projeto ParticipART – Criação, Comunidade e Desenvolvimento, cujo contexto de intervenção foi o centro histórico do Seixal e teve como parceira a Associação Cultural L1B. A intervenção incidiu na investigação sobre a memória dos espaços, do trabalho e das vivências da comunidade local e contou com a participação de estudantes e diplomados do curso de Artes Visuais e Tecnologias (AVT) e Mediação Artística e Cultural (MAC), da Escola Superior de Educação (ESELx) do Instituto Politécnico de Lisboa.
Através das práticas associadas à Street Art ou Community-Based Art foram propostas abordagens no âmbito das artes visuais e das artes performativas (música e teatro) a problemáticas locais que envolvem a transmissão da memória coletiva dos lugares ou do trabalho operário, tendo em conta a partilha de saberes sociais, criativos, técnicos, artísticos, bem como a expressão de intersubjetividades. Neste sentido, foram desenvolvidas as ligações entre a problemática da memória do trabalho industrial a deslocação das zonas rurais para os espaços urbanos e a construção coletiva das identidades ligadas aos lugares. O processo de trabalho articulou-se ainda com o projeto “Becos e Esquinas”, proposto pela associação L1B e envolveu a realização de um espetáculo multidisciplinar intitulado “Amanhã temos bom dia” e intervenções artísticas em espaço urbano.

Biografias Autor

Alfredo Dias, Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa

O texto apresenta o processo de trabalho realizado no âmbito do projeto ParticipART – Criação, Comunidade e Desenvolvimento, cujo contexto de intervenção foi o centro histórico do Seixal e teve como parceira a Associação Cultural L1B. A intervenção incidiu na investigação sobre a memória dos espaços, do trabalho e das vivências da comunidade local e contou com a participação de estudantes e diplomados do curso de Artes Visuais e Tecnologias (AVT) e Mediação Artística e Cultural (MAC), da Escola Superior de Educação (ESELx) do Instituto Politécnico de Lisboa.
Através das práticas associadas à Street Art ou Community-Based Art foram propostas abordagens no âmbito das artes visuais e das artes performativas (música e teatro) a problemáticas locais que envolvem a transmissão da memória coletiva dos lugares ou do trabalho operário, tendo em conta a partilha de saberes sociais, criativos, técnicos, artísticos, bem como a expressão de intersubjetividades. Neste sentido, foram desenvolvidas as ligações entre a problemática da memória do trabalho industrial a deslocação das zonas rurais para os espaços urbanos e a construção coletiva das identidades ligadas aos lugares. O processo de trabalho articulou-se ainda com o projeto “Becos e Esquinas”, proposto pela associação L1B e envolveu a realização de um espetáculo multidisciplinar intitulado “Amanhã temos bom dia” e intervenções artísticas em espaço urbano.

Joana Matos, Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa

O texto apresenta o processo de trabalho realizado no âmbito do projeto ParticipART – Criação, Comunidade e Desenvolvimento, cujo contexto de intervenção foi o centro histórico do Seixal e teve como parceira a Associação Cultural L1B. A intervenção incidiu na investigação sobre a memória dos espaços, do trabalho e das vivências da comunidade local e contou com a participação de estudantes e diplomados do curso de Artes Visuais e Tecnologias (AVT) e Mediação Artística e Cultural (MAC), da Escola Superior de Educação (ESELx) do Instituto Politécnico de Lisboa.
Através das práticas associadas à Street Art ou Community-Based Art foram propostas abordagens no âmbito das artes visuais e das artes performativas (música e teatro) a problemáticas locais que envolvem a transmissão da memória coletiva dos lugares ou do trabalho operário, tendo em conta a partilha de saberes sociais, criativos, técnicos, artísticos, bem como a expressão de intersubjetividades. Neste sentido, foram desenvolvidas as ligações entre a problemática da memória do trabalho industrial a deslocação das zonas rurais para os espaços urbanos e a construção coletiva das identidades ligadas aos lugares. O processo de trabalho articulou-se ainda com o projeto “Becos e Esquinas”, proposto pela associação L1B e envolveu a realização de um espetáculo multidisciplinar intitulado “Amanhã temos bom dia” e intervenções artísticas em espaço urbano.

Kátia Sá, Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa

O texto apresenta o processo de trabalho realizado no âmbito do projeto ParticipART – Criação, Comunidade e Desenvolvimento, cujo contexto de intervenção foi o centro histórico do Seixal e teve como parceira a Associação Cultural L1B. A intervenção incidiu na investigação sobre a memória dos espaços, do trabalho e das vivências da comunidade local e contou com a participação de estudantes e diplomados do curso de Artes Visuais e Tecnologias (AVT) e Mediação Artística e Cultural (MAC), da Escola Superior de Educação (ESELx) do Instituto Politécnico de Lisboa.
Através das práticas associadas à Street Art ou Community-Based Art foram propostas abordagens no âmbito das artes visuais e das artes performativas (música e teatro) a problemáticas locais que envolvem a transmissão da memória coletiva dos lugares ou do trabalho operário, tendo em conta a partilha de saberes sociais, criativos, técnicos, artísticos, bem como a expressão de intersubjetividades. Neste sentido, foram desenvolvidas as ligações entre a problemática da memória do trabalho industrial a deslocação das zonas rurais para os espaços urbanos e a construção coletiva das identidades ligadas aos lugares. O processo de trabalho articulou-se ainda com o projeto “Becos e Esquinas”, proposto pela associação L1B e envolveu a realização de um espetáculo multidisciplinar intitulado “Amanhã temos bom dia” e intervenções artísticas em espaço urbano.

Natália Vieira, Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa

O texto apresenta o processo de trabalho realizado no âmbito do projeto ParticipART – Criação, Comunidade e Desenvolvimento, cujo contexto de intervenção foi o centro histórico do Seixal e teve como parceira a Associação Cultural L1B. A intervenção incidiu na investigação sobre a memória dos espaços, do trabalho e das vivências da comunidade local e contou com a participação de estudantes e diplomados do curso de Artes Visuais e Tecnologias (AVT) e Mediação Artística e Cultural (MAC), da Escola Superior de Educação (ESELx) do Instituto Politécnico de Lisboa.
Através das práticas associadas à Street Art ou Community-Based Art foram propostas abordagens no âmbito das artes visuais e das artes performativas (música e teatro) a problemáticas locais que envolvem a transmissão da memória coletiva dos lugares ou do trabalho operário, tendo em conta a partilha de saberes sociais, criativos, técnicos, artísticos, bem como a expressão de intersubjetividades. Neste sentido, foram desenvolvidas as ligações entre a problemática da memória do trabalho industrial a deslocação das zonas rurais para os espaços urbanos e a construção coletiva das identidades ligadas aos lugares. O processo de trabalho articulou-se ainda com o projeto “Becos e Esquinas”, proposto pela associação L1B e envolveu a realização de um espetáculo multidisciplinar intitulado “Amanhã temos bom dia” e intervenções artísticas em espaço urbano.

Teresa Matos Pereira, Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa

O texto apresenta o processo de trabalho realizado no âmbito do projeto ParticipART – Criação, Comunidade e Desenvolvimento, cujo contexto de intervenção foi o centro histórico do Seixal e teve como parceira a Associação Cultural L1B. A intervenção incidiu na investigação sobre a memória dos espaços, do trabalho e das vivências da comunidade local e contou com a participação de estudantes e diplomados do curso de Artes Visuais e Tecnologias (AVT) e Mediação Artística e Cultural (MAC), da Escola Superior de Educação (ESELx) do Instituto Politécnico de Lisboa.
Através das práticas associadas à Street Art ou Community-Based Art foram propostas abordagens no âmbito das artes visuais e das artes performativas (música e teatro) a problemáticas locais que envolvem a transmissão da memória coletiva dos lugares ou do trabalho operário, tendo em conta a partilha de saberes sociais, criativos, técnicos, artísticos, bem como a expressão de intersubjetividades. Neste sentido, foram desenvolvidas as ligações entre a problemática da memória do trabalho industrial a deslocação das zonas rurais para os espaços urbanos e a construção coletiva das identidades ligadas aos lugares. O processo de trabalho articulou-se ainda com o projeto “Becos e Esquinas”, proposto pela associação L1B e envolveu a realização de um espetáculo multidisciplinar intitulado “Amanhã temos bom dia” e ntervenções artísticas em espaço urbano.

Publicado
2018-09-05
Secção
Artigos